Qualidade de vida, opções de lazer e proximidade com áreas verdes são características que você valoriza quando avalia um imóvel para morar? E se agregarmos benefícios como sustentabilidade, modernidade e alta probabilidade de valorização, o quão irresistível se tornaria o seu investimento?

Goiânia está prestes a ver surgir uma ótima oportunidade para quem busca essas características em um imóvel. A construção do Parque do Cerrado, localizado na zona sul da cidade, representa o surgimento de um novo conceito de habitação e ocupação urbana.

Conheça um pouco sobre esse projeto e saiba os benefícios que o Parque do Cerrado vai gerar não apenas para quem decidir habitar o seu entorno, mas para toda a cidade de Goiânia.

Complexo grandioso

O Parque do Cerrado será construído na zona sul da Capital de Goiás, ocupando uma área de 706 mil metros quadrados. Será o maior parque da cidade.

Para efeitos de comparação, ele será oito vezes maior que o Vaca Brava, no Setor Bueno, e cinco vezes maior que o Flamboyant, no Jardim Goiás, dois dos parques mais populares da cidade.

Com um conceito inédito de ocupação urbana, o Parque do Cerrado terá atrativos não apenas resultantes da infraestrutura ambiental da região, mas também com iniciativas voltadas para esportes, cultura e lazer.

Entre as novidades previstas no projeto estão, por exemplo, cinema ao ar livre, teleférico, ciclovias com locação de bicicletas, espaços para exposições de arte e área para leitura e compartilhamento de livros.

Ao todo, serão 65 diferentes atrações planejadas para atender a todos os tipos de público. Esses atrativos serão distribuídos nos oito setores nos quais o Parque do Cerrado será dividido.

Projeto sustentável

O aproveitamento dos parques como parte da infraestrutura urbana é uma característica de Goiânia. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a capital de Goiás é a cidade mais arborizada do país (e a segunda do mundo), com 950 mil árvores de quase 400 espécies diferentes.

Tendo como premissa a sustentabilidade, o Parque do Cerrado foi projetado pensando no aproveitamento desse potencial.

Um exemplo deste cuidado está no setor 5, onde está prevista a instalação do Anfiteatro das Artes. Construído com material reciclado oriundo do projeto Coleta Seletiva, da prefeitura de Goiânia, o espaço terá ainda um sistema de captação de energia solar.

Projeto colaborativo

A definição do projeto final do Parque do Cerrado ocorreu a partir de um processo colaborativo que buscou dar voz a diferentes públicos. Por meio da metodologia Charrette, foram ouvidas 100 pessoas representando entidades de bairro e organizações ligadas a urbanismo e meio ambiente na cidade.

Foram dois workshops para troca de experiências e apresentação de ideias para aprimoramento da proposta. A aplicação da metodologia Charrette foi coordenada pela Agência Municipal de Meio Ambiente de Goiânia, pela EuroAmérica e pelo arquiteto Guilherme Takeda, responsável pelo projeto.

‘É um parque que foi pensado de forma colaborativa e vamos trabalhar para que seja construído e mantido também dessa forma’, afirma Takeda.

Foco na segurança

Outra preocupação presente na elaboração do projeto do Parque do Cerrado diz respeito à segurança dos seus frequentadores.

Além de uma central de monitoramento por meio de câmeras de vídeo, que deverão ser instaladas ao longo de todo o parque, também está prevista a vigilância ostensiva da Guarda Civil Metropolitana, que terá uma base instalada no complexo.

65 atrações de lazer e cultura

O Parque do Cerrado será dividido em oito setores, com atrações para diferentes públicos. Conheça um pouco mais sobre eles:

Setor 1

Totem informativo, pórtico de acesso, bar, bike stop, biblio share — área destinada à leitura e a troca de livros —, quadra de tênis e paddle, ciclovia e área de passeio.

Setor 2

Espaço para os pais com fonte, pista de caminhada, play de bebês (para crianças de até 3 anos), play descoberta (para crianças de 4 a 8 anos), play aventura (para crianças entre 8 e 12 anos) e área de brinquedos lúdicos e de resgate cultural, como amarelinha e bosque nativo.

Setor 3

Ciclovia, área de passeio, bar, bike stop, biblio share, espaços fitness ao ar livre (para terceira idade), pet place — área cercada para passeio com animais de estimação —, e zona de slack line.

Setor 4

Praça com mirante, teleférico, espaço para exposições temporárias, quadra poliesportiva, campo de futebol de areia, espaço de alongamento, pistas de skate bowl e street, parede de escalada, pista de mountain bike, pista de patinação, espaço para arte local e Bike Stop.

Setor 5

Anfiteatro das Artes — um palco aberto para apresentações artísticas —, ciclovia, bar, bike stop e biblio share.

Setor 6

Mirante, passarela ligando o complexo ao Centro Cultural Oscar Niemeyer, esplanada cívica, bike stop, biblio share e totem informativo.

Setor 7

Lago com deck e pedalinhos, espaço zen e área de exposição de arte.

Setor 8

Cinema ao ar livre, restaurantes, horta orgânica, vila ambiental com um banco de espécies nativas do Cerrado, jardim botânico, passarela de arvorismo e trilha na copa das árvores.

Oportunidade de investimento

Além de toda a comodidade e qualidade de vida que se pode usufruir morando nas proximidades do Parque do Cerrado, a aquisição de um imóvel em uma região com esse perfil representa uma excelente oportunidade de investimento.

Com a consolidação da estrutura projetada e o crescimento da oferta de serviços na região, a grande valorização dos imóveis é praticamente garantida. Outras áreas de Goiânia já experimentaram esta situação.

O centro da cidade, por exemplo, verificou um importante desenvolvimento a partir da instalação do Parque dos Buritis. Já no Setor Bueno, foi o Parque Vaca Brava o indutor de desenvolvimento e valorização.

No Jardim Goiás, a valorização do metro quadrado após a instalação do Parque Flamboyant foi superior a 200%, em um período de oito anos. Ou seja: além de ser um excelente negócio, quem antecipar-se e efetivar o investimento antes, terá maior probabilidade de obter grande rentabilidade.

Atualmente, o projeto do Parque do Cerrado está em análise na Prefeitura de Goiânia, que avalia a realização de alguns ajustes finais. A expectativa é que as obras tenham início já no primeiro semestre de 2018 — incluindo a instalação do complexo viabilizada por meio de Parcerias Público Privadas, contando com recursos da Prefeitura de Goiânia e do Governo do Estado de Goiás.

Veja essas imagens aéreas da região

Paço Municipal, Oscar Niemeyer, Shopping Flamboyant.
Paço Municipal, Oscar Niemeyer, Shopping Flamboyant.
EuroPark, Alphaville e Parque do Cerrado.
EuroPark, Alphaville e Parque do Cerrado.
EuroPark, Alphaville, Park Lozandes.
EuroPark, Alphaville, Park Lozandes.
Estádio Serra Dourada, Fórum Cível, Ministério Público Federal, Câmara Municipal.
Estádio Serra Dourada, Fórum Cível, Ministério Público Federal, Câmara Municipal.

 

O que você achou do projeto do Parque do Cerrado? Gostaria de viver próximo à todas estas opções de lazer e qualidade de vida? Ou acredita ser uma boa oportunidade de investimento? Seja qual for a sua avaliação, assine nossa newsletter e fique sempre informado sobre as novidades a respeito do complexo.