Como já sabemos, para a compra de uma casa ou apartamento ser bem sucedida é preciso que haja planejamento financeiro. Esse é um momento que marca a vida e comprar um imóvel exige comprometimento de longo prazo. Você sabe como começar esse planejamento? 

É preciso muita organização e pequenos passos para adquirir o imóvel que você quer. Afinal, uma compra feita equivocadamente pode impactar sua vida de forma negativa por um longo período, trazendo muitos prejuízos para você e para sua família.

Quer algumas dicas sobre como se planejar para este momento? 

 

ORGANIZE SUAS FINANÇAS

Investir em imóveis não é barato, por isso você precisa se organizar: é muito importante saber exatamente quanto ganha e quanto gasta por mês. Tenha em mãos seu orçamento, levando em conta quanto entra, quanto sai e possíveis imprevistos que você possa ter pelo caminho. Calcule também quanto tempo você terá para comprar o imóvel e quanto de dinheiro conseguirá poupar nesse período. 

 

FAÇA ORÇAMENTOS

Se esforce para economizar e estabeleça um percentual mínimo a ser poupado todos os meses. Trabalhe com metas de valores e tempo até o investimento. Analise o que pode ser poupado e até investido, e transforme essa prática em um hábito saudável para sua vida. 

 

FAÇA UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO PARA O INVESTIMENTO

Não deixe seu dinheiro parado enquanto se prepara para comprar o seu imóvel. Escolha um investimento para rendimento a longo tempo. O ideal é escolher aplicações de renda fixa, que lhe garanta ganhos estáveis e previsíveis. Procure boas taxas de juros para proteger seu capital e garantir o crescimento financeiro. Com o período de aplicação certo, você pode colher ótimos frutos do investimento. 

 

PEÇA OPÇÕES DE PAGAMENTO E COMPARE-AS

Em geral, você pode adquirir seu imóvel à vista, com financiamento e com consórcio imobiliário. Avaliando sua situação financeira, como foi sugerido no primeiro passo, você pode estudar melhor as possibilidades e aproveitar a melhor forma de pagamento. 

Para financiamento, prefira pagar o valor de entrada mais alto possível, diminuindo a quantidade de parcelas ou juros. O ideal é considerar pagar pelo menos 30% do valor do imóvel. Além disso, a parcela de financiamento deve corresponder a, no máximo, 20% de sua renda mensal.

 

Para consórcios financeiros, que oferecem custos mais baixos, é preciso ter cuidado com os pagamentos das prestações. O ideal é não acumular parcelas, pois isso pode gerar multas de alto valor e permitir a exclusão do consorciado. 

 

PENSE BEM ANTES DE FECHAR NEGÓCIO

A vontade de ter o imóvel próprio pode fazer você se precipitar na escolha. Esteja atento (a) aos detalhes de cada imóvel, pesquise sobre a região, se informe sobre o condomínio ou vizinhança e simule uma rotina diária do lugar que você irá morar aos locais que você precisa ir todos os dias. O mercado imobiliário é dinâmico e várias boas oportunidades podem surgir com o tempo.

 

FIQUE ATENTO AOS GASTOS EXTRAS

Reformas, móveis novos e mudança custam dinheiro, e muitas vezes o orçamento inicial fica muito mais caro que o esperado. É importante avaliar se é uma boa hora de realizar a compra do imóvel próprio e já pensar nessas mudanças de percurso.

 

Estude suas diversas opções e prepare-se para escolher o melhor para você e sua família!